Pages

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELICIDADE


Bem eu não sei por onde começar.
01.01.2010 escrito assim:
Esse ano vai ser diferente de TUDO que eu já vivi. O que vale, a única coisa que importa agora é a minha FELICIDADE! 2010 eu te abraço!
Pois bem esse ano foi... Hum, como posso dizer? 
- A peça que estava faltando em TODA a minha VIDA!
F-E-L-I-C-I-D-A-D-E!
A partir do momento que eu decidi ser feliz, eu fui! 
É eu sei, não é nada fácil, mas não teria graça nenhuma se fosse!
Mágoas, choros, falsos sorrisos, promessas não cumpridas, arrependimentos, saudade, exageros, decepções, enfim todo aquele lixo. Que como um rolo compressor eu esmaguei até meu ultimo suspiro!
HOJE:
Sucesso, sonhos que serão realizados daqui a nove dias, alegria, ter absoluta certeza que de a vida agora vale muito a pena, amor, realizações, desejos, visão poética, sensibilidade. SIM agora eu enxergo tudo àquilo que a minha tristeza não deixava os meus olhos enxergarem.
Realmente foi DIFERENTE de tudo que já vivi. 
Que em 2011 continue sendo sempre mais e mais diferente.
Feliz Ano Novo!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Resolve [...]

Chorar resolve, mas só se for muito, até desidratar!


quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Plano Funerário?

Vou começar com essa frase: 
 “A vida começa quando a gente compreende que ela não dura muito." Millôr Fernandes
Hoje quando voltava para casa, vi um anúncio que dizia assim: Plano funerário a partir de 18,00.  
Tá! E o que você tem a ver com isso? 
Não percebemos, mas deixamos a vida escorrer por nossos dedos todos os dias. 
Deixamos a vida passar pela janela da nossa casa, do nosso trabalho, da nossa escola, dia após dia. 
Não nos damos mais conta que a nossa sensibilidade em admirar as coisas boas, sumiram...
Que não temos mais tempo para fazermos aquela ligação para a pessoa querida, que não temos mais paciência para lermos um livro até o final, que nem notamos por onde passamos todos os dias.
Que passamos de cabeça baixa na rua, perdendo a oportunidade de alguém lhe dizer um "Oi, como vai?".
E quando alguém nos pergunta: Como vai? 

Respondemos: "Bem e tu?", sabendo que não está nada bem! Mas fazer o quê né? 
É de praxe falarmos: "tudo ótimo". O brabo é mentir pra si mesmo.
Guardamos "coisas" especiais, para "momentos" especiais. 
Bá meu amigo, se tu soubesse que iria morrer naquela esquina, garanto que teria degustado aquele vinho, bom e caro que estava guardando para um dia especial! Garanto que tinha pedido desculpas para aquele amigo - pelo qual o motivo da discussão nem lembra mais - garanto que teria dado aquele abraço apertado no teu filho quando sentiu vontade, mas não teve tempo porque estava atrasado para ir trabalhar. 
Dia especial é o HOJE, porque o amanhã pode não vir! 
Perdemos a essência da vida, não sabemos aproveitar essa “mini jornada", porque quando percebemos CABUMMMMM! Termina! E acabamos virando um plano funerário. 

Pesquisar este blog